Programa de 2016.1

Coordenação: Vicente Machado Gaglianone (vmgaglia@yahoo.com.br)
Co-coordenação: Paula Borsoi (borsoi.paula@gmail.com)
Horário: segundas e quartas terças-feiras do mês, às 19h30
Início: 8 de março de 2016

Como no ano passado, continuaremos nossa pesquisa com o foco nas coordenadas possíveis que o sujeito psicótico encontra para “fazer-se” um corpo. Sublinhamos o fato de que Lacan a partir do “Estádio do espelho” nos ensina que o imaginário é menos a imaginarização dos “Contos de Fadas” e mais o que há de real no jogo especular. O que há de real no jogo especular é aquilo que, para todos, não se unifica com o apoio da imagem e, para os sujeitos psicóticos, que não dispõem da veste e do semblante a velar esse despedaçamento originário, fica aber-ta a via de devastação que o gozo mortífero impõe.

Verificar as modalidades de invenções que esses sujeitos dispõem para fazer suplência à foraclusão do Nome-do-pai, e o que isso nos ensina na clínica do falasser, será nossa tarefa para 2016.

Continuaremos com nossa metodologia de pesquisa que alterna en-contros teóricos com clínicos, e conversações virtuais com o Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais.

A bibiografia será divulgada posteriormente.

Anúncios