Clínica e Política do Ato

Coordenação: Ondina Machado e Heloísa Caldas

Periodicidade e horário: segundas e quartas sextas-feiras de cada mês, às 14h30

Início: 13 de abril

Ato e segregação

O tema do Encontro Brasileiro de 2018 – “A queda do falocentrismo. Suas consequências para a psicanálise” – nos permitirá, em parte, dar prosseguimento ao estudo feito em 2017 sobre as psicoses, agora acrescidos dos efeitos de saber produzidos pelo Congresso da AMP de Barcelona. A abordagem transferencial das psicoses tem nos mostrado que há arranjos que não fazem uso do universal orientado pelo pai, o que equivale à queda do falocentrismo.

Esperamos trazer de Barcelona questões que nos orientem nas análises de sujeitos que, a despeito de se livrarem do Outro, caem na malhas de um Outro feroz, rígido, com o qual não há papo, sequer na intimidade fantasmática. A falta de dialética enseja mais ao ato que à reflexão e encaminha a solução do mal-estar à formação de comunidades de gozo que muitas vezes sustentam o sujeito. Aqui pretendemos pensar um dos conceitos básicos da psicanálise, a identificação, e questionar a relação entre a saída identitária e as formas de segregação que presenciamos atualmente. Por outro lado, tanto a entrada em análise quanto seu término implicam em um ato. Que tipo de ato implica o término da análise? Seu desfecho leva à redução de um ponto de singularidade que recorta o gozo único que habita cada um de nós. Como fazer isso sem entrar na lógica segregativa nem virar um ermitão? Estas são as questões que pretendemos abordar em nosso programa de pesquisa.

 

Programa:

1 – O que nos ensinam as psicoses – Ecos de Barcelona

2 – Comunidades de gozo: da identificação à segregação. Sexo, seitas, religiões e partidos

3 – Identificação ao sinthoma ou como fazer laço com o gozo singular

 

Os temas serão abordados alternando a teoria com casos clínicos extraídos de nossa prática ou da literatura disponível.

 

Bibliografia:

Laurent, É. O avesso da biopolítica. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2017.

Laurent, É. “Racismo 2.0”. In: Lacan Cotidiano, n. 371. AMP Blog, Acessível por: http://ampblog2006.blogspot.com.br/2014/02/lacan-cotidiano-n-371-portugues.html

Delgado, O.; Fridman, P. Indagaciones psicoanalíticas sobre la segregación. Olivos: Grama Ediciones, 2017.

Holck, A.L.L.; Santos, A. O que se passa? Análises lacanianas e outras histórias. Rio de Janeiro: Subversos, 2012.

 

Anúncios