A criança no discurso analítico – Curumim

Coordenação: Maria do Rosário Collier do Rêgo Barros e Maria Inês Lamy

Periodicidade e horário: segundas e quartas terças-feiras de cada mês, às 21h00

Início: 13 de março

Em 2018 vamos debater o tema proposto pela NRCereda/BR: “Crianças violentas”. Nos últimos encontros de 2017, iniciamos a discussão do artigo de J.-A. Miller1 que será a base do nosso trabalho. Além da referência a Lacan, nesse texto preciso e condensado Miller retorna a conceitos freudianos fundamentais. A seu primeiro questionamento – se a violência é sintoma – lembra que sintoma implica em signo e substituição, o que não se observaria nos atos violentos. Várias questões se desdobram a partir daí – sobre o sintoma; a pulsão de morte; gozo, castração e simbólico; defesa e recalque, etc. –, configurando-se assim um programa de trabalho.

Mal iniciamos o debate, vários colegas lembraram de casos que gostariam de discutir no Núcleo, o que demonstra que esse tema toca de perto o que vivemos na atualidade.

1 Miller, J.-A. “Crianças violentas”, Opção Lacaniana n. 77, agosto de 2017.

Anúncios